segunda-feira, 16 de maio de 2016

Quando descobri que tenho a sorte de um amor tranquilo


Quando o amor bater à sua porta trazendo uma tranquilidade que há tempos você não sentia, agarre-o! Não o deixe escapar por entre os dedos. Guarde com carinho, porque as chances de dar certo são enormes. Não há nada mais verdadeiro que ter alguém ao nosso lado que nos proporciona um coração tranquilo. 

Cresci ouvindo tantas definições sobre o amor, e talvez todas elas façam realmente sentido. Mas, para mim, nada vai definir melhor o amor que a palavra "tranquilidade". Já cantava Cazuza: "Eu quero a sorte de um amor tranquilo..." E que sorte! 

Descobri que o amor era a minha tranquilidade quando, numa domingo à tarde, a única coisa que eu queria era ficar agarradinha com ele, vendo Netflix e comendo as nossas baganas preferidas. Descobri que o amor era a minha tranquilidade quando, antes de dormir, o telefonema dele era tudo que eu precisava para encontrar paz após um dia cansativo. O amor virou minha tranquilidade quando nossas mãos entrelaçadas passaram a significar companheirismo e a certeza de que, nesse planeta tão cheio de gente, há um alguém que caminha comigo. O amor virou minha tranquilidade quando o beijo na testa se tornou a forma mais linda de dizer: "eu cuido de você".

Descobri que o amor era a minha tranquilidade quando a vontade de estar perto, de abraçar e de querer o bem se tornaram maiores que qualquer defeito dele. 
E quando o barulho do mundo passou a ser nada perto perto do silêncio de um abraço apertado. Quando as brigas, divergências e gritos, deram lugar a um cafuné gostoso acompanhado de um sussurrado "eu te amo" no pé do ouvido. 

Percebi que eu tinha um amor tranquilo quando a preocupação de ter um relacionamento duradouro deu lugar à certeza de que, independente de quanto o tempo passe ou do quanto as coisas mudem, aquele alguém sempre vai ser quem deixa o meu coração tranquilo.

Pois é, Cazuza tinha razão. O amor tranquilo é mesmo uma sorte. E que sorte! 

sexta-feira, 22 de abril de 2016

Tudo sobre a minha viagem ao Rio de Janeiro

Olá, pessoas!  Recentemente viajei para o Rio de Janeiro com o meu namorado e a família dele para assistirmos ao show da nossa banda favorita: Coldplay! <3 Porém, aproveitamos para, em um final de semana, conhecermos tudo que tínhamos direito daquela que é a famosa Cidade Maravilhosa! 

Por isso, montamos o nosso próprio roteiro de viagem, para que não dependêssemos de guia turístico. E aí já vai a primeira dica: 

1. Monte o seu próprio roteiro de viagem, pegue o mapa da cidade e saia conhecendo os lugares por conta própria. E, caso você não queira andar de ônibus ou metrô, opte por alugar um carro. Sai bem mais barato e você ainda tem a liberdade de ir para onde quiser, na hora que quiser, sem ser obrigado a seguir a excursão. (Lembrando que isso vai do gosto de cada um).

Bom, mas por causa disso eu acabei juntando muitas informações sobre o RJ, então acho justo vir compartilhá-las aqui com você. 


Primeiramente, com relação às passagens aéreas, a gente encontrou uma promoção, ida e volta pela TAM Linhas Aéreas, por R$ 500 e pouco. Foi um preço ótimo, tendo em vista que, atualmente, esse valor estaria entre R$ 800,00 e R$ 1.000,00. 
O hotel em nós ficamos chama-se Hotel Regina, e ele fica localizado no bairro do Flamengo. Lá é um bairro com uma ótima localização, tanto no sentido de que é fácil de chegar, como também no sentido de segurança. Com relação ao Hotel Regina, eu gostei muuuito! Super recomento! O serviço de lá é ótimo e todos os funcionários são muito simpáticos e prestativos. 

Vamos para a parte mais divertida agora: OS PONTOS TURÍSTICOS!

Vou seguir a mesma ordem que estabelecemos no nosso roteiro de viagens. Ah, e aqui cabe mais uma dica: 

2. Quando for montar o seu roteiro, procure obedecer a ordem pelas zonas da cidade. Isto é, visite primeiro os pontos turísticos localizados na zona sul, depois os da zona norte. E assim por diante. Dessa forma, você vai otimizar o seu tempo e não vai se estressar tanto com o trânsito. 

1. Heliponto e Mirante Dona Marta 
No topo do Mirante e Morro Dona Marta existe um heliporto onde você poderá fazer vôos panorâmicos sobre o Rio mediante compra de tícket (obs.: nós não fizemos. kk). O mirante e seu heliponto ficam ao lado do Corcovado, entre Laranjeiras e Botafogo, e com amplas e magníficas vistas para a zona sul e zona norte.

É lá em que tem uma pedra, na qual você pode subir e tirar uma foto como se o Cristo Redentor tivesse em suas mãos. Eu amei! 
Horário de Funcionamento: 8h00 às 19h00
O Cristo Redentor é, sem dúvidas, o ponto turístico mais marcante do Rio de Janeiro. Ele é mundialmente conhecido, sendo considerado uma das Sete Maravilhas do Mundo. O monumento foi inaugurado no dia 12 de outubro de 1931, dia de Nossa Senhora Aparecida e fica no bairro de Santa Teresa.

Para chegar até ele, que fica a 709 metros acima do nível do mar, você precisa subir o morro Corcovado. Para isso, existem três opções: Trem, Van ou Carro. (Você também pode subir à pé, mas só se tiver um preparo físico. 

Obs.: Subir com o seu próprio carro | Foi a que escolhemos! Porém, em um determinado ponto (mais precisamente na altura da Estrada das Paineiras, onde compra-se os ingressos), você precisa pegar uma van que te deixa lá em cima. Lembrando que não é recomendado subir em seu próprio carro; nós só subimos porque estávamos com um guia, o qual contratamos apenas para nos auxiliar nesse ponto turístico. 
Horário de Funcionamento: Abertura da bilheteria: 08h00 | Fechamento da bilheteria: 19h50

O passeio tem como cenário 360º de paisagens deslumbrantes, tais como: as praias do Leme, Copacabana, Ipanema, Flamengo, Leblon; Pedra da Gávea, o imponente maciço da Tijuca e o Corcovado, com a imagem do Cristo Redentor; Baía da Guanabara, com a enseada de Botafogo; centro da Cidade; Aeroporto Santos Dumont; Ilha do Governador; Niterói; Ponte Rio- Niterói; e, ao fundo a Serra do Mar, com o pico “Dedo de Deus”.

O Bondinho liga a Praia Vermelha ao Morro da Urca; e o Morro da Urca ao Pão de Açúcar. Cada passeio dura 3 minutos, e o ingresso já dá direito a ambos. No topo de cada morro, há um complexo, no qual há vários espaços para se conhecer. Falarei um pouco de cada um deles mais abaixo:

1. Praça dos Bondes: Em 13 de novembro de 2009, a Companhia Caminho Aéreo Pão de Açúcar inaugurou a Praça dos Bondes no Morro da Urca. No local ficam expostos os bondinhos das duas gerações anteriores e duas esculturas de bronze, em tamanho real, dos responsáveis pela idealização e implantação de cada um deles, Augusto Ferreira Ramos e o engenheiro Cristóvão Leite de Castro.

2. EGB: O Espaço Baía de Guanabara, no Morro da Urca, conta com restaurantes, lojas e quiosques que aliam gastronomia de qualidade com um visual incomparável do Rio de Janeiro, a uma altura de 227 metros. Com capacidade para 360 pessoas, a área gastronômica e de lazer comporta diversas lojas e quiosques que tornam o passeio mais completo e agradável.

3. Cocuruto: Um pequeno museu localizado no Morro da Urca que contará a história dos teleféricos, inaugurados há quase 100 anos, através de projeções digitais, imagens, maquinário e objetos que marcaram a trajetória do primeiro teleférico brasileiro. O objetivo é compartilhar com o público um pouco da história do Pão de Açúcar, permeada por acontecimentos marcantes, que merecem ser relembrados por alguns e descobertos por muitos outros. O acesso ao local não exige qualquer pagamento adicional ao turista.
4. Anfiteatro: Quando eu fui, ele estava em reforma.
  • Preços:Adultos – R$ 76,00Crianças menores de 06 anos – GrátisCrianças de 06 a 12 anos – R$ 38,00Jovens de 13 a 21 anos – R$ 38,00 (mediante documento de identidade)

O Jardim Botânico do Rio de Janeiro – JBRJ – foi fundado em 13 de junho de 1808. Ele surgiu de uma decisão do então príncipe regente português D. João de instalar no local uma fábrica de pólvora e um jardim para aclimatação de espécies vegetais originárias de outras partes do mundo. Hoje o Instituto de Pesquisas Jardim Botânico do Rio de Janeiro – nome que recebeu em 1995, é um órgão federal vinculado ao Ministério do Meio Ambiente e constitui-se como um dos mais importantes centros de pesquisa mundiais nas áreas de botânica e conservação da biodiversidade.
Localização: Rua Jardim Botânico, portões nº 920 e nº 1008 ou Rua Pacheco Leão, nº 101, Jardim Botânico. 

Horário de Funcionamento: O horário normal de visitação é: segundas-feiras, das 12 às 17h, e de terça a domingo, das 8h às 17h, com prorrogação de uma hora para o fechamento das bilheterias no período de horário de verão.


É isso!!! Ah, e se você ainda não assistiu o primeiro vlog da viagem que saiu lá no canal, aqui está:

domingo, 14 de fevereiro de 2016

Resenha do Livro: "Métrica", de Colleen Hoover

Olá! Eu estava olhando as últimas postagens do blog e me dei conta de que já faz um bom tempo que não escrevo resenha literária aqui. Desde a última resenha até agora, eu já li muitos livros bacanas, porém - por falta de tempo ou puro esquecimento - acabei deixando de indicá-los para vocês. Bom, mas agora vou tentar retomar esse hábito de escrever sobre os livros que leio, principalmente porque é algo que eu gosto tanto de fazer. 

Para iniciar essa nova fase, decidi trazer um livro surpreendente: Métrica. Ele foi um livro que li indicado por uma amiga (Obrigada, Endy, pela indicação e pelo livro emprestado! Haha <3) e, por causa dos comentários positivos da minha amiga acerca dessa obra, eu já comecei a minha leitura com muitas expectativas. 
E já digo de antemão: não me decepcionei nenhum pouco! Pelo contrário, me encantei com o livro e, inclusive, tive todas as minhas expectativas superadas. "Métrica", cujo título original é "Slammed", é um livro da escritora norte-americana Colleen Hoover e foi lançado em 2013 (sim, já é um livro antigo, mas infelizmente só o conheci agora. Haha).
Primeiramente, vamos esclarecer algo sobre o título. Confesso que, no primeiro momento, não soube ao certo a relação existente entre a palavra métrica e a narrativa em si. Cheguei a pensar, inclusive, que era algo ligado à matemática. Bom, eu estava enganada! Pesquisando sobre, descobri que métrica, na verdade, trata-se de uma forma adotada pelos poetas para marcar o ritmo de sua poesia. Ou seja, isso tem TUDO A VER com o livro, visto que seus personagens estão intimamente ligados com a poesia. 

E por falar em personagens, vamos, afinal, entender direitinho do que se trata a história: A narrativa gira em torno de Layken (chamada carinhosamente de Lake), uma jovem que, ao lado de sua mãe e seu irmão caçula, precisou enfrentar a morte de seu pai de forma prematura. Passados seis meses desde o falecimento, Lake vê a sua vida mudar radicalmente quando sua mãe decide que eles precisam dar tchau ao Texas e mudar-se para outra cidade a fim de reorganizar a vida. 
Diante dessa novidade, Lake acumula tristezas, medos e angústias ao se deparar com uma nova cidade, uma nova casa, uma nova vida. Sente-se perdida e, por isso, precisa dar conta de encontrar também o seu novo destino. Nesse meio tempo, ela conhece o seu novo vizinho, Will, um cara encantador que tem grandes chances de ajudá-la nessa tarefa de descobrir o que o futuro reserva para ela. 

Porém, no meio de descobertas, uma verdade é relevada, impedindo Lake e Will de ficarem juntos. Eles passam a lutar entre a emoção e a razão, tentando fugir das ordens do coração, mas se entregando dia após dia à força da poesia - e do amor!

Poesia, amor e tragédia. 
"Pura poesia. Ou um baque no coração. Se apaixonar pode ser cada uma dessas coisas... Quem sabe, ainda, sua doce e dolorosa mistura. Pelo menos é o que Layken está prestes a descobrir. Se ousar, simplesmente, viver. Se escolher enfrentar o que o destino lhe reservou. Mas o destino é inexorável... E talvez a cota de dor seja mais do que ela possa suportar. Afinal, como é possível continuar seguindo quando seu coração está congelado?"

Para quem está achando que é só mais uma historinha de amor, eu digo: não! Métrica vai muito além disso e nos presenteia com uma aula de vida, maturidade e, sim, muita poesia. Pois é, o destino pode, algumas vezes, nos mostrar caminhos tortos, repletos de altos e baixos, mas uma coisa é certa: decidir como enfrentar esse caminho é uma tarefa unicamente sua - autor de sua própria história. E é justamente isso que Lake e Will precisam fazer. 

Além de toda uma narrativa bem pensada e surpreendente, o leitor ainda é agraciado com momentos de pura poesia. E, por incrível que pareça, não é uma poesia clichê e rotineira, é uma poesia que vem da alma, nos fazendo mergulhar profundo na história. Não se espante se, de repente, ao ler o livro, você sentir uma lágrima escorrendo pelo seu rosto; está tudo bem, foi só a Métrica que conseguiu embalar o ritmo do seu coração. 

Boa leitura! <3 

sexta-feira, 22 de janeiro de 2016

YOUTUBE | Fiz Ombré Hair no meu cabelo!

Olá! Eu estou tão tão tão feliz e satisfeita! Por quê? Porque encontrei uma forma de mudar um pouquinho o visual sem precisar cortar o cabelo ou pintá-lo por inteiro! Yeaaah! Pesquisei bastante antes de tomar a decisão de fazer um Ombré Hair, então eu decidi compartilhar lá no meu canal (Inclusive, se inscreva lá para acompanhar os próximos vídeos, viu? <3) um pouquinho de como foi o processo de tomada de decisão e o resultado. Clica o play e assista: 


Espero que vocês tenham gostado! Deixem aqui nos comentários o que acharam ou alguma dúvida que tiverem! Beijinhos e até a próxima! <3

terça-feira, 12 de janeiro de 2016

Diário do Mês: Dezembro + Como foi escrever um diário em 2015

Demorou, mas chegou! Eu não poderia JAMAIS deixar de escrever o diário do mês de dezembro, o último de 2015! Passei o ano inteirinho contando os detalhes mais divertidos de todos os meses e, por isso, eu não poderia deixar de fazer o encerramento desse projeto lindo e que me fez muito feliz durante esse ano que passou! Escrever o Diário de cada mês nem sempre era fácil; compartilhar a minha vida com a internet é uma decisão complicada, porque a gente nunca sabe exatamente quem está do outro lado da telinha. Mas eu aceitei correr esse risco, porque escrever diários é INCRÍVEL! Me deixa com um gostinho de saudade - saudade da minha infância, saudade de quando eu rabiscava a agenda e contava o que rolava nos meus dias, saudade de contar os meus segredos para uma folha de papel. Bem, agora não é mais uma folha de papel, mas sim uma tela em branco; porém, o sentimento continua o mesmo! 
Bom, mas vamos falar de dezembro!
Já comecei o mês cantando parabéns! Haha No dia 2 foi aniversário da minha Mamis linda; além disso, no mesmo dia, ela e o meu pai completaram 20 anos de casados. Fofos, né? 
No final de semana seguinte, rolou o Halleluya! Para quem não conhece - espero que vocês conheçam! <3 - trata-se de um evento de artes integradas organizado pela Comunidade Católica Shalom aqui de Natal/RN, cujo objetivo é trazer shows de bandas católicas e aproveitar o momento para fazer com que o público tenha um momento especial com Deus. É maravilhoso! Acontece todos os anos no mês de dezembro (e eu, claro, marco sempre presença!)

Esse mesmo final de semana foi bem agitado: além do Halleluya, me encontrei também com as minhas melhores amigas - Ju e Bia! Foi um momento muito bacana para colocar as novidades em dia e matar a saudade! Além disso, participei de um Workshop de Comunicação organizado pela PASCOM - Pastoral da Comunicação, na Paróquia São José de Anchieta. Foi incrível, porque pude conhecer mais dessa realidade da Comunicação Social atrelada à igreja. E, como vocês sabem, amo tudo que envolve jornalismo, então não tinha como eu recusar o convite de participar desse evento. 

No dia 12, o meus avós fizeram 50 anos de casados. Para comemorar, organizamos uma missa - parecia casamento mesmo! - e, em seguida, teve a recepção. Foi tudo muito fofinho e fiquei muito feliz pelos meus avós. Inclusive, fiz um vídeo em homenagem, no qual fiz questão de contar com muito carinho a história dos dois. Já divulguei aqui no bog, mas se você ainda não viu, clique aqui e viaje nessa linda ''História de Amor". <3

Final de ano, já sabe, né? Sempre rola as confraternizações. Participei de uma no meu estágio; apesar de atrasada, pude curtir com o pessoal e, inclusive, já me despedir (sim, irei para um novo estágio!). Sentirei saudades de todos, mas a vida é assim mesmo: precisamos sempre ir atrás do que é melhor para nós. E é isso que estou fazendo, afinal. 

Então é Natal! Ai, a noite de Natal foi tão linda e divertida. Fomos primeiramente à missa e depois reunimos a família na casa da minha vó. Além da ceia e do amigo secreto, tiveram várias dinâmicas legais. E adivinhem: eu estava responsável pelas atrações da noite! Haha Então fiz questão de organizar tudo direitinho para que o nosso Natal pudesse ser inesquecível. E foi!

No dia 23, teve o aniversário do meu lindo priminho: Joãozinho! Ele estava todo fofo vestido de Homem Aranha. E, nossa, como o tempo passa rápido! Pisquei o olho e ele já está completando 3 aninhos! Haha
Seguindo a tradição das confraternizações, participei também de uma com o pessoal do Segue-me. Saímos à noite para conversar e ficar junto. Foi bacana! 

Teve Paralamas do Sucesso de graça sim, produção! Haha Como eu amo a minha cidade, como eu amo Paralamas, como eu amo ir a shows com o meu namorado! <3 É sempre muito bom! 

Enfim, ano novo! Viajei para a Praia do Conde, na Paraíba. Lá passei a virada do ano ao lado da minha família. Foi muito especial, porque o lugar onde ficamos - Pousada Paraíso dos Colibris - é simplesmente incrível! Claro que eu gravei tudo para vocês, se quiser conferir o Vlog, clique aqui. Siiiiiim, estamos com um canal no Youtube!!! Se eu fosse você, não perdia tempo e já me inscrevia lá para acompanhar os próximos vídeos! 

E é isso, lindos do meu coração! O ano acabou, 2016 já está super animado! Ameeei o meu 2015, vivi momentos muito felizes e compartilhei todos eles com vocês! Espero MUITO que vocês tenham gostado da acompanhar a minha vidinha durante esse ano. E, se vocês quiserem que eu continue com o projeto "Diário do Mês", deixe aqui nos comentários, porque saber que tem alguém do outro lado da telinha acompanhando tudo e se divertindo junto comigo só faz com que eu tenha mais e mais vontade de postar aqui no blog. Espero contar com vocês! Beijinhos e até a próxima!