terça-feira, 16 de setembro de 2014

Resenha do filme: " O Grande Desafio"


Um filme com uma narrativa baseada em fatos reais, dotado de particularidades fiéis à época na qual a história se passa e com personagens marcantes, “O Grande Desafio” conseguiu entrar para lista dos filmes que melhor retratam a realidade dos negros na década de 30, período em que o racismo era dominante nos EUA, mais precisamente no estado do Texas (local onde se desenrola o drama). Com roteiro de Robert Eisele, a trama é inspirada no artigo “The Great Debaters”, escrito por Tony Scherman para a revista American Legacy.

A narrativa gira em torno do professor Melvin B. Tolson, interpretado pelo ator (e também diretor do filme) Denzel Washington, o qual decide formar uma equipe de debates na Wiley College, uma pequena universidade destinada para negros. Dentre os vários alunos interessados, ele escolhe apenas quatro: Henry Lowe (Nate Parker), Samantha Booke (Jurnee Smollett), James Farmer Jr. (Denzel Whitaker) e Hamilton Burgess (Jermaine William). Todos eles com realidades e características completamente distintas, porém com três aspectos que os igualam: a cor, o preconceito sofrido e a paixão pelas palavras.


Movidos pelo desejo de romper as barreiras do racismo existente em 1935 e pela formidável habilidade em lidar com a defesa de suas ideias, o grupo segue praticamente imbatível em todos os debates dos quais participa. As competições abordam temas polêmicos da época, e os jovens debatedores ganham proeminência no meio acadêmico do país. Todavia, alguns obstáculos surgem, como a breve prisão do professor Tolson, adepto da política ativista, provocando consequências negativas para a equipe de debates: algumas universidades cancelaram as competições, e um dos integrantes (Hamilton Burgess) desistiu de permanecer no grupo.

Porém, felizmente, Melvin Tolson não se abalou fácil e, com a certeza de que “a derrota os tornam mais fortes”, conseguiu motivar os três alunos restantes. Deram continuidade às competições, mas, durante uma viagem de carro, foram espectadores de uma terrível cena: um negro sendo lixado por um agrupamento de brancos. Neste momento, o medo os atinge brutalmente, muito embora o sentimento de revolta prevaleça, os deixando inquietos e com ainda mais sede de justiça.

O maior desejo da equipe, desde o início das competições, sempre foi conseguir o convite para debater com a renomada Universidade Havard. Por isso, a alegria é unânime quando descobrem que este fato está prestes a acontecer. O debate entre a Wiley College e a Universidade de Havard gera expectativas em toda a população norte-americana, de modo que ele é transmitido nacionalmente pelos meios de comunicação. Com destaque para a emocionante e sincera argumentação de James Farmer Jr., debatedor de apenas 14 anos, a Wiley College vence a competição e prova que uma “lei injusta não é uma lei para todos” (citação do jovem Farmer Jr., inspirado em Santo Agostinho).



“O Grande Desafio” é o tipo de filme que foge do óbvio. Enquanto muitos longas-metragens que abordam a temática do racismo seguem uma mesma linha de raciocínio, o roteiro de Robert Eisele surpreende ao trazer à tona não só a realidade doída dos negros, mas também a beleza e a força das palavras; assistindo à trama, é comprovado que uma argumentação bem elaborada pode ser suficiente para transformar uma nação. Além disso, o filme dá uma lição de que não devemos parar nas nossas limitações; pelo contrário, devemos fazer destas limitações combustíveis para avançarmos rumo ao nosso objetivo: vencer!

2 comentários:

Olá! Deixe aqui seu comentário, sugestão ou crítica! Obrigada por visitar o Prefira Primavera. Volte mais vezes! <3