quinta-feira, 6 de novembro de 2014

#MaratonaEnem: Literatura Brasileira

Decidi, de forma bem rápida, trazer um resumo de todas as Escolas Literárias no Brasil; porque é certo que, no Enem, caiam questões abordando a literatura brasileira. Para facilitar, montei uma linha do tempo, na qual se pode visualizar a etapa e seu respectivo período. 
Principais características de cada período:  
Quinhentismo: Na época do descobrimento do Brasil, a literatura compreende a produção informativa, cujo principal interesse é o de notificar à Corte sobre as potencialidades socioeconômicas da colônia; além dos textos catequéticos dos missionários jesuítas, preocupados com a propagação católica. Ex.: Carta de Pero Vaz de Caminha.

2° Barroco: Em um período marcado de conflitos ideológicos, surge o Barroco, o qual busca conciliar os dilemas surgidos da oposição fé versus razão, vida eterna versus vida terrena, espírito versus carne. Para produzir os textos, os escritores passam a utilizar do rebuscamento, virtuosismo, ornamentação exagerada, jogo sutil de palavras e ideias, ousadia de metáforas e associações. Cultismo ou Gongorismo: abuso de metáforas, hipérboles e antíteses. Obsessão pela linguagem culta. Conceptismo (Quevedo): jogo de ideias, pesquisa e essência íntima. Ex.: Padre Antônio Vieira e Gregrório de Matos Guerra.

3° Arcadismo: Combate-se a mentalidade religiosa criada pela Contra-Reforma, valoriza-se o estudo cinentífico e as atividades humanas, num retorno à cultura renascentista. Os ideais libertários do iluminismo impulsionam uma produção poética que valoriza a harmonia do homem com a natureza e o resgate de elementos da Antiguidade Clássica.
5 temas do Arcadismo: aurea mediocritas (mediania dourada), locus amoenus (lugar ameno), fugere urbem (fuga da cidade), carpe diem (aproveitamento do dia).
Ex.: Cláudio Manuel da Costa.


4° Romantismo: Com o Romantismo, o público literário se ampliou e isso fez com que a literatura desenvolvesse uma nova linguagem, baseada na imaginação e nos sentimentos, resultando em uma interpretação subjetiva da realidade. A forma estética dos poemas, talvez seja a maior expressão dessa ruptura: o verso livre, sem métrica ou estrofação e o verso branco, sem rima, passam a ser usados e transformam-se na maior representação da liberdade idealizada pelos autores românticos. Ex.: Gonçalves de Magalhães.

5° Realismo: O mundo em desencanto substitui a idealização romântica pela crença na visão racional e materialista. Literatura de combate social, crítica à burguesia, ao adultério e ao clero. Análise psicológica dos personagens. Objetividade, temas contemporâneos. Ex.: Machado de Assis.

6° Naturalismo: Como no Brasil os períodos literários chegam com algum atraso em relação a Europa, o Naturalismo desembarca no mesmo ano que o Realismo, ainda que seja uma evolução (ou seqüência) deste. No Naturalismo se salienta a hereditariedade, o determinismo, a influência dos ambientes e da educação, o fatalismo; sua relação com o Realismo são as propostas antirromântica e anti-idealista. A ótica naturalista capta de preferência a mediocridade da rotina, os sestros e mesmo as taras do indivíduo, uma opção contrária dos românticos. Ex.: Aluísio Azevedo.
7° Parnasianismo e Simbolismo: O parnasianismo caracteriza-se pela exaltação da objetividade e a busca pela forma perfeita, numa reação aos excessos de forma e conteúdo do Romantismo. Enquanto que o simbolismo é um movimento literário surgido na França, na segunda metade do século XIX, como oposição ao Realismo, pois procurou combater a obsessão cientificista dos realistas, através da retomada do subjetivismo e do espiritualismo (banidos da literatura pelo objetivismo realista). Ex.:
8° Pré-Modernismo: Nessa época, o país passa por várias transformações que apontam para uma modernização de nossa vida política, social e cultural. Marcados pela convivência entre várias tendências artísticas ainda não totalmente superadas e algumas novidades de linguagem e ideologia, os autores pré-modernistas permaneciam sob uma influência de modelos do romance realista-naturalista e da poesia simbolista, mas se destacavam por duas características essenciais: a) interesse pela realidade brasileira; b) a busca de uma linguagem mais simples coloquial. Ex.: Monteiro Lobato.
9° Modernismo: Após a Semana de Arte Moderna de 22, houve um rompimento com o tradicionalismo, libertação estética e independência cultural do país.
  1. Primeira Fase: Uma arte não sentimental e não realista, que exige a participação ativa do leitor; promove uma revolução na literatura e nas artes plásticas. Ex.: Oswald de Andrade, Manuel Bandeira
  2. Segunda Fase: A geração de 30 busca expor as múltiplas faces que compõem o painel da população brasileira, numa literatura engajada e regionalista. Ex.: Jorge Amado, Carlos Drummond de Andrade.
  3. Terceira Fase: Três grandes nomes da literatura brasileira têm destaque: Guimarães Rosa, Clarice Lispector e João Cabral de Melo Neto.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Olá! Deixe aqui seu comentário, sugestão ou crítica! Obrigada por visitar o Prefira Primavera. Volte mais vezes! <3