quarta-feira, 15 de abril de 2015

Resenha do filme: "Questão de Tempo" (About Time).

Preciso falar desse filme! Preciso falar desse filme! Preciso falar desse filme! 

Quando terminei de assistir "Questão de Tempo", tive duas reações: a primeira foi ficar muito pensativa (mais à frente explicarei porquê); em seguida, foi querer gritar pro mundo inteiro: "assistam este filme!". Mas como não tenho como gritar para o mundo inteiro, posso, pelo menos, escrever um post na tentativa de fazer com que você (é, você mesmo que está lendo essas palavras) termine de ler esta resenha e saia correndo para assisti-lo - caso você ainda não tenha dado a sorte de assistir, claro. 

Bom, mas vamos ao que interessa: o filme! 

O título original do filme é "About Time", mas foi traduzido para o Brasil como "Questão de Tempo". Trata-se de uma comédia romântica (com uma pitada de drama) do diretor Richard Curtis (o mesmo de "Um lugar chamado Notting Hill", "Simplesmente amor" e "O Diário de Bridget Jones"), lançada em 2013. A trama se passa em Londres (minha cidade dos sonhos ❤) e possui um elenco incrível.

Tudo começa quando o jovem britânico Tim Lake (Domhnall Gleeson), ao completar seus 21 anos de idade, é surpreendido pelo seu pai (Bill Nighy) com a revelação de um segredo: todos os homens de sua família têm o poder de viajar no tempo - voltar no tempo, mais precisamente - e viver novamente alguma cena do passado. E o melhor de tudo, de uma forma completamente diferente de como ela já foi vivida. 

Quem nunca sonhou em poder viajar no tempo e consertar algum momento que não deu muito certo? Pois é exatamente este poder que Tim tem nas mãos. Contudo, por ser um cara cético, no início ele não levou muito a sério o que o pai disse e o diálogo entre os dois teve até um tom de deboche; mas, na minha opinião, essa foi uma sacada legal do diretor, justamente porque neste momento ele conseguiu transformar a viagem no tempo em algo nenhum pouco extraordinário (como geralmente é mostrado nos filmes). Em seguida, quando Tim tenta voltar no tempo pela primeira vez, mesmo sem acreditar que isso seja real, ele é surpreendido com o êxito da viagem. E é só então que ele começa a acreditar na história do pai, mas ainda assim o filme continua passando a ideia de que o poder de viajar no tempo só é uma característica normal da família Lake, e não a anormalidade futurista que estamos acostumados a ver - o que é crucial para fazer o espectador acreditar nessa história.
A partir daí, Tim começa suas viagem no tempo, sempre com a esperança de, com elas, encontrar o amor da sua vida. Até que ele finalmente conhece a adorável Mary (Rachel McAdams), uma jovem que é fã de Kate Moss e trabalha lendo livros (tem trabalho melhor? ❤) Mas como é de se esperar, algumas viagens ao tempo acabam mudando o curso dos acontecimentos. Logo, Tim precisa lidar com isso e bolar saídas para fazer com que tudo dê certo, nem que para isso ele tenha que alterar, novamente, diversas coisas do passado. 
Embora seja um romance, eu gostei do fato da narrativa não ser centrada apenas no casal Tim e Mary. Obviamente, eles recebem maior atenção, mas outros aspectos da vida do protagonista também são levados em consideração (inclusive na hora de viajar no tempo), como sua relação com o pai, com a irmã Kit Kat (Lydia Wilson), entre outros. 

Por falar nos demais personagens, devo dizer que me apeguei a cada um deles. Todos foram muito bem interpretados e possuíam cada qual as suas características peculiares capazes de conquistar o público. Senti como se fosse amiga deles e até desejei que eles fossem reais para a gente poder bater um papo. 

E quanto ao casal Tim&Mary, afirmo que eles conseguiram ficar em 1° lugar, empatadinhos com Tom&Summer (do filme 500 Dias com Ela), no ranking de casais que conquistaram meu coração. Eles são extremamente fofos juntos, possuem uma sintonia incrível. Além de, claro, fugirem do óbvio. Tim está longe de ser o galã das comédias românticas e a Mary é uma garota com jeitinho atípico. Foi justamente isso que fez com que eu tivesse a sensação de que eles são reais e que posso encontrá-los a qualquer momento na minha vida.
(Owwwwwn <3)
Outro ponto positivo do filme é a estética: cenário, figurino, fotografia... Tudo muito vintage e cute, combinando perfeitamente com Londres. <3 Fato que só me deixou ainda mais encantada pela cidade e desejosa de um dia poder visitá-la. 

"Questão de Tempo" é um filme maravilhoso! E passa uma lição ainda mais maravilhosa! A gente termina a trama com uma vontade absurda de aproveitar a vida, prestar mais atenção nos pequenos detalhes, amar as pessoas que temos por perto e viver intensamente cada dia. Mas, principalmente, viver de tal modo que não precisemos voltar no passado para consertar nada. Afinal, a graça da vida está justamente no fato de só termos uma chance. Por isso, não desperdicemos essa chance, até porque não sabemos quando tudo pode mudar numa questão de tempo. 

  • Assistam ao trailer:



Enfim, é isso! Acredito que não tenha restado nenhuma dúvida do quanto que eu recomendo este filme, não é mesmo? Ele é muito lindo e eu confesso que chorei um tiquinho no final (Ô novidade! kk). Quero ver todo mundo assistindo e me contando depois o que achou, combinado? E, se você já assistiu, não esquece também de compartilhar comigo a sua opinião sobre o filme, ok? Vou adorar saber! 

Beijos, e muito obrigada por visitar o blog! <3 Volte sempre!

Ps: Curtam a página do filme "Questão de Tempo" no Facebook: 
https://www.facebook.com/questaodetempobrasil?fref=ts Eles sempre publicam novidades relacionadas ao filme e aos atores <3 

 Siga o blog também nas redes sociais: 
SnapChat: le_ticiafranca

10 comentários:

  1. Assisti esse filme por acaso quando estreou no Telecine (Aliás, uma dica: Pra quem tem Telecine, este filme pode ser visto online, no Telecine Play). Enfim, também amei o filme, amei cada um dos principais personagens! E pra mim também foi uma lição de vida! Super recomendo!

    ResponderExcluir
  2. Esse filme é um amor :3 ! vejo tds os dias e ainda não enjoei ;)

    ResponderExcluir
  3. Esse filme é um amor :3 ! vejo tds os dias e ainda não enjoei ;)

    ResponderExcluir
  4. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  5. Fiquei muito feliz de achar alguém que parece ter gostado tanto de "500 dias com ela" como eu. (Sei que não é o foco do post, mas precisava falar isso ahaha)
    Não sou o maior fã de comédias romanticas, talvez por conta dos roteiros tão parecidos. Mas foi exatamente isso que tanto me atraiu nesses dois filmes. Eles conseguem sair do comum

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Siiiim, eu sou perdidamente apaixonada por "500 Dias Com Ela". E também fico muito feliz em saber que temos isso em comum! :D Conseguir sair do comum: esse é o ponto!

      Excluir
  6. Esse filne é perfeito. Acabei de assisti-lo no Netflix e chorei muito. O fibal é lindo e tocante. A crítica especializada não gostou muito dele, principalmente a questão da viagem no tempo, mas acho que a narrativa foi tão bem construída que os pormenores da viagem temporal ficam em segundo plano. Filme recomendadíssimo!

    ResponderExcluir
  7. ...quem nao gostou do filme é porque nao entendeu a mensagem.... que mensagem? Volte no tempo e assista novamente..rss

    ResponderExcluir

Olá! Deixe aqui seu comentário, sugestão ou crítica! Obrigada por visitar o Prefira Primavera. Volte mais vezes! <3